terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Quanta preguiça!

Nem sei quando eu percebi isso em mim. A questão é que sou um ser preguiçoso. Acho que essa característica surgiu na minha pré-adolescência, não sei. Talvez. Tenho preguiça quase sempre. Não tenho preguiça de dormir, isso é fato, mas tenho preguiça de me levantar, de me submeter àquela sucessão de atos que antecedem o café-da-manhã, de pegar o carro e ir ao trabalho, de trabalhar...

Este é o meu primeiro post do ano e eu já o havia pensado desde o meio do ano passado. Poderia atribuir esse atraso à falta de tempo, afinal trabalho pela manhã e estudo pela noite. Mas não; é preguiça mesmo! E agora que eu estou de férias de pelo menos uma das minhas obrigações (da Universidade. Mas espera aí! EU trabalho na Universidade!), achei por bem publicar este texto.

A preguiça me poupa de certas situações desagradáveis. Como da vez em que, por pura preguiça, eu resolvi não falar com aquela menina mais bonita da festa. O namorado dela estava a poucos metros e eu só fui me dar conta depois. Ainda bem que eu não fui. Outra vez fui convocado para um encontro de velhos amigos, mas preferi curtir um pouco mais a minha cama e findei não indo. Aconteceu que naquele dia choveu tanto que as ruas viraram rios e o encontro foi cancelado.

Até aqui tudo bem, a preguiça me ajudou bastante, nas mais diversas situações. Porém ela, por vezes, me tem tirado ótimas oportunidades. Quantas vezes eu deixei de conhecer a pessoa da minha vida por causa dela? Quantas vezes eu deixei de me divertir por simples comodismo? Quantas vezes eu deixei de viver de verdade?

Em resposta a essas perguntas que me tiram o sono (que ofensa) eu resolvi, como meta a ser alcançada neste ano que se inicia, ser menos preguiçoso. Posso começar dormindo menos, praticando algum esporte, tendo mais atitude diante de decisões importantes, escrevendo mais, enfim, sendo mais vivo.

Ou vai ser assim ou vou me acomodar de novo. Porque eu venho prometido essas coisas há tanto tempo que tenho até preguiça de lembrar!

6 comentários:

Thiago Luiz disse...

Somos, você e eu, seres preguiçosos. Por isso, nossas saídas pra ver filme são tão proveitosas. Compreendemos um ao outro.

André Fontes disse...

isso quando um dos dois não dorme durante, né?

brincadeira, isso nunca aconteceu. ainda.

André Fontes disse...

acabei de ficar sabendo que isso já aconteceu...

Fer disse...

Nossa, se tem uma coisa que eu acho o fim: é o tal comodismo.E não é que todos nós temos!Preguiça me irrita,mas seria hipócrita falar isso tbm...não posso dizer que sei como é isso pq não sei,luto arduamente contra isso.Mas hoje,não saí por preguiça de ir sozinha para o Jack Rock Bar e talvez ter que aturar algumas conversas chatas,coincidentemente resolvi olhar seu blog, acho que foi um aviso do tipo: DON'T DO THIS AGAIN!
hahahaha :*

Maíra D. disse...

(:
preguiça de comentar!

foi legal ter te visto
=*

Vitória disse...

Me deu uma preguiça completamente paralisadora.
Mas pra comentar, eu deixo ela de lado, mas só pra comentar, tá? Se for pra correr de você para não ser assaltada, eu corro, na hora!

Eu também sou preguiçosa assim.